Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

J Q M

Fui jornalista, estive em todo o tipo de competições desportivas ao longo de mais de 30 anos e realizei o sonho de participar nos Jogos Olímpicos. Agora, continuo a observar o Desporto e conto histórias.

J Q M

Fui jornalista, estive em todo o tipo de competições desportivas ao longo de mais de 30 anos e realizei o sonho de participar nos Jogos Olímpicos. Agora, continuo a observar o Desporto e conto histórias.

Neste fim-de-semana jogou-se futebol à capela, com vitórias expressivas embaladas por coros celestiais num ambiente de paz e harmonia. Ninguém desafinou, alguns solistas ofereceram-nos “vibratos” memoráveis e houve direito a bis e “encores” dignos de grandes noites no Coliseu.Ninguém sabe quem foi o autor da metáfora “mete a viola no saco” que genericamente quer dizer, na forma elegante como falam os portugueses, o mesmo que o brutal “fecha a matraca” com que os (...)
Há uns anos, o mais considerado comentador em Portugal disse no seu púlpito que “quem julga o futebol pelas estatísticas não percebe nada de futebol”. Eu, que me considero pioneiro nesse tipo de análise na imprensa portuguesa, a partir de 1983, enfiei a carapuça, não porque reduza a minha observação a esses parâmetros, mas porque julgo que eles indiciam quase tudo sobre a capacidade de um jogador ou de uma equipa e, numa análise alargada, fazem sempre o retrato minucioso de (...)