Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]




O que pode levar o seleccionador da 8.ª mais forte selecção do Mundo a preparar a equipa, ao longo de um mês, para disputar três jogos numa semana e, tendo perdido na estreia, decidir operar uma mudança radical do sistema de jogo para a segunda partida? O mais provável é acabar a ouvir olés, como aconteceu hoje ao polaco Adam Navalka num estádio dos confins da Rússia repleto de colombianos.

A Polónia sofreu com a velocidade do Senegal e entrou no Mundial a perder (1-2), com uma defesa de 4.
Com medo do virtuosismo dos sul-americanos, que também iniciaram a prova com uma derrota, o bom do Nawalka foi aos papéis e achou que o melhor era mudar para uma defesa de 5. Em vez de dois golos, sofreu três. E no ataque meteu dó, com mais uma grande prova totalmente falhada por Lewandovsky, repetindo o fiasco de há dois anos no Europeu como capitão da primeira selecção europeia a fazer as malas.
Nawalka e o argentino Jorge Sampaoli são, para já, os dois mentores destas mudanças em andamento. Um já foi, o outro está a caminho.
E o Colômbia-Senegal, uma final que dá um lugar nos oitavos, será um dos jogos mais palpitantes da semana que vem.

Autoria e outros dados (tags, etc)





Comentários recentes

  • O sátiro

    Só lamento a decisão imatura de LFV de despedir FS...

  • Anónimo

    Fernando Santos copiou Otto Rehagel depois de ter ...

  • JQM

    Obrigado.

  • Anónimo

    Bom regresso ao blog.

  • Anónimo

    Sim, subscrevo.