Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]





Comentários recentes

  • Anónimo

    Sim, subscrevo.

  • JQM

    Eu trocaria por Jonas, evidentemente.

  • Jaime Palha

    Não me respondeu, João.

  • Anónimo

    E a trocar, troca por quem?

  • Anónimo

    Moral da história, todos os processos a que o Benf...





Harry Kane marcou por duas vezes de curta distância em pontapés de canto, a abrir e a fechar o jogo, para uma vitória à francesa da Inglaterra por 2-1 sobre uma Tunísia que soube defender muito bem, mas acabou por soçobrar, devido a um comprometedor erro de marcação. Nos cantos da seleção, Harry Kane vale bem mais do que nos cantos do Tottenham, onde o colocam insistentemente a fazer os cruzamentos.
Normalmente a Inglaterra não consegue vencer o jogo de abertura dos Mundiais, pelo que este triunfo sobre o adversário directo e a forma determinada como foi alcançado constituem um aviso à navegação. Ganhando o jogo seguinte ao Panama fica praticamente qualificada e pode encarar o duelo com a Bélgica com algum alívio.
Os ingleses mostraram enorme optimismo e vontade de vencer, lutando com humildade contra as próprias limitações da equipa, cuja falta de criatividade no meio-campo é gritante, embora compensada por força, organização colectiva e motivação.
A Tunísia empatou num pênalti que o árbitro soube antecipar ao VAR e manteve o empate porque o mesmo VAR não quis intervir em dois lances sobre Kane, completamente agarrado, bloqueado e atirado ao chão à margem da lei. Depois de dois dias de aquiescência, os comentadores das televisões inglesas voltaram às críticas acintosas contra o árbitro de video.

Autoria e outros dados (tags, etc)





Comentários recentes

  • Anónimo

    Sim, subscrevo.

  • JQM

    Eu trocaria por Jonas, evidentemente.

  • Jaime Palha

    Não me respondeu, João.

  • Anónimo

    E a trocar, troca por quem?

  • Anónimo

    Moral da história, todos os processos a que o Benf...