Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

J Q M

Fui jornalista, estive em todo o tipo de competições desportivas ao longo de mais de 30 anos e realizei o sonho de participar nos Jogos Olímpicos. Agora, continuo a observar o Desporto e conto histórias.

J Q M

Fui jornalista, estive em todo o tipo de competições desportivas ao longo de mais de 30 anos e realizei o sonho de participar nos Jogos Olímpicos. Agora, continuo a observar o Desporto e conto histórias.

Diz a estatística que a França atingiu os 100 por cento de eficácia ofensiva nos últimos dois jogos do Mundial: 4 golos em 4 remates à baliza frente à Argentina, 2 em 2 frente ao Uruguai. Mais uma estatística enganadora, quando revemos o segundo golo de hoje, só possível porque Muslera vestiu a pele de Karius, escolhendo o pior palco e o pior dia para dar o frango da sua vida. Frango? Nem toda a gente está de acordo. Depois de vários dos guarda-redes do Mundial se terem (...)
Varane atira Godin para fora da lista dos melhores do Mundial com um golo nos terrenos e especialidade do uruguaio. Griezmann, com um golo e uma assistência, eclipsa o seu ex-futuro colega Suarez. Assim, os espanhóis de França foram decisivos na primeira batalha dos quartos-de-final, que ficou muito longe do equilíbrio competitivo que se aguardava. O central do Real Madrid imitou o ex-colega de equipa Pepe e marcou de cabeça nos domínios dos considerados intratáveis defesas (...)
03 Jul, 2018

Mina da Colômbia

O mais importante desta noite foi a Inglaterra ganhar finalmente um desempate por grandes penalidades, mas ninguém pode ficar indiferente ao que o jovem defesa central colombiano Yerri Mina realizou nesta prova. Dias depois de ser dispensado pelo Barcelona, ao fim de seis meses e apenas seis jogos na Liga espanhola, Mina tornou-se no primeiro defesa a marcar três golos de cabeça num Mundial, algo só alcançado por grandes avançados como Kocsis, José Augusto, Gerd Muller, Paolo Rossi (...)
03 Jul, 2018

Relógio sueco

A Suécia está nos quartos de final pela primeira vez neste século, com um futebol seco, ritmado e objectivo. Em quatro jogos, apenas sofreu golos (e perdeu no último pontapé do jogo) com a Alemanha, podendo dizer-se que está a realizar uma campanha imaculada. Sem brilho, mas com uma regularidade e segurança impressionantes, com a precisão de um relógio… sueco. Não há uma estrela na selecção sueca - e por isso não sobrou espaço para Ibrahimovic -, onde tudo assenta numa (...)
O Japão submeteu a Bélgica ao primeiro grande teste, no melhor jogo do Mundial até agora, e só foi eliminado no último minuto, na mais espectacular jogada de contra-ataque que vi nos últimos tempos. Os japoneses, ao bom estilo kamikaze que os impediu de medir as consequências da sua ousadia, cometeram o tradicional harakiri, com nobreza, mas também com a ingenuidade que penaliza drasticamente os que não sabem defender-se. Ao longo de todo o jogo, os japoneses exerceram uma (...)
Apanha, cai, rebola, choraminga, mas levanta-se. Às vezes, não apanha realmente, mas cai, rebola, choraminga e levanta-se. E também há momentos em que provoca, cai, rebola, choraminga e levanta-se. No levantar, é que está o ganho de Neymar, pois de cada vez que ele se ergue, como um sempre em pé, os adversários directos desmoralizam um pouco, vão perdendo paciência e acabam por ceder. Hoje com o México foi, outra vez, assim. Neymar voltou a sofrer um número infame de seis (...)
O Mundial entrou na fase do empata-empata, outrora conhecida como do mata-mata. Ninguém quer perder e poucos têm capacidade de correr riscos para chegar ao triunfo. Os jogos transformam-se em exercícios de xadrez, com a proposta de empate sempre presente nas acções colectivas e nas directrizes dos treinadores. Muita cabeça, muita concentração, nada de erros - que o guarda-redes depois resolve nos penaltis. E assim, depois do feito do russo Akinfeev, foi o croata Subasic quem (...)
Portugal acompanha a Argentina, Cristiano Ronaldo acompanha Messi, a FIFA garante o rejuvenescimento das suas galas de fim de ano. Usando uma imagem de Fernando Santos, saem do palco os dois grandes violinistas do futebol contemporâneo, e fica a orquestra uruguaia que tem mais bombos do que violinistas, é certo, mas muito bem afinada. O seleccionador esperou até ao intervalo para mudar o sistema de jogo e libertar Bernardo Silva, o qual acabou por transformar-se no líder de ataque (...)
Começou o Mundial a sério e a França trepou na tabela dos favoritos, com uma exibição de futebol ofensivo como ainda não se tinha visto no campeonato, considerando apenas jogos entre equipas niveladas. Explodiu Mbappé, apareceu Pogba, continuaram a crescer os laterais Hernandez e Pavard e manteve-se Kanté ao mais alto nível. Como tinha assinalado o treinador Deschamps, trata-se de uma equipa muito jovem. Mbappé, candidato a grande figura da prova, ainda não chegou aos 20 anos. (...)
30 Jun, 2018

O falso Messi

Se Sampaoli realmente consultava Messi antes de tomar as grandes decisões sobre a equipa Argentina, de certo que a ideia de colocar o capitão numa posição de falso avançado-centro, frente à França, teve a concordância do jogador e terá, até, sido alguma vez testada em treinos. A anunciada eliminação da Argentina, salva à justa na fase de grupos, fica então assinalada por esta bizarra opção táctica de um treinador que baralhou os papéis e se perdeu perante uma oferta (...)